Quem Foi Franz Bardon?

Franz Bardon [František Bardon] (1º de dezembro de 1909 a 10 de julho de 1958) foi um ilusionista de palco, naturopata formado, grafólogo, um professor e estudante de magia, mas é mais conhecido atualmente por ter escrito três volumes científicos sobre o Hermetismo prático: O Caminho do Verdadeiro Adepto (CVA), A Prática da Evocação Mágica (PEM) e A Chave para a Verdadeira Quabbalah (CVQ).

Infância e Adolescência

Nascido em Opava (em alemão, Troppau), mesma terra do botânico Gregor Mendel, na República Tcheca, foi o primeiro de treze filhos, apenas quatro deles chegando à idade adulta. O pai de Franz, Victor, trabalhava numa fábrica de ferramentas e, nas horas de lazer, dedicava-se ao estudo do Hermetismo, e sobre sua mãe, Hédrodkova, nada sabemos.

Franz freqüentou a escola primária e estagiou profissionalmente numa fábrica como serralheiro-reparador de máquinas. Mais ou menos nessa época, provavelmente entre 14 e 20 anos, diz seu filho Lumir, Bardon transformou-se totalmente, mostrando capacidades de clarividência e mudança total de caráter, como se fosse outra pessoa. Diz-se que seu espírito passou a ocupar o corpo físico do jovem Franz Bardon. Bardon fala sobre tal transformação em A Prática da Evocação Mágica: “(...) Acontece, algumas vezes, que pessoas que já alcançaram um alto nível de perfeição na Terra são capazes de continuar seu desenvolvimento espiritual no mundo astral até a perfeição, mas essas pessoas são selecionadas pela Providência Divina a cumprir uma ou mais missões na Terra. Tais líderes espirituais são, portanto, magos ou iniciados de nascença, que, em certa parte do desenvolvimento de seus corpos físicos (geralmente pouco após a puberdade) tornam-se, de repente, conscientes de seu estado, de seu grau de desenvolvimento espiritual, e só precisam de pouco mais experiência para se tornarem maduros o suficiente para sua missão divina.”

Bardon começou a usar suas habilidades mágicas nessa época, passando a ser conhecido por Frabato, uma abreviação de Franz (Fra) Bardon (Ba) Troppau (em alemão) (T) - Opava (em tcheco) (O).

Casamento e Filhos

Franz casou-se com Marie, que passou a se chamar Marie Bardonová, lá pelos seus 21 anos. Apesar de não querer um filho, para não ser “impedido” em sua missão, sua esposa o queria e Lumir nasceu no dia 4 de janeiro de 1937, prematuro. Houve um certo momento em que Bardon foi e voltou dos campos de concentração, mas sobre essa época pouco foi revelado. Depois desse período, trabalhou como diretor de um hospital e comprou uma casa em Bogengasse, casa que ocuparia até o fim de sua vida. Bardon convidou sua esposa a se mudar para a nova casa, mas ela recusou, para não deixar sua mãe nem a exploração agrícola em Gillschwitrz. Bardon contratou, para cuidar de sua casa, uma empregada.

Frabato

Começou a fazer demonstrações públicas de magia e de princípios herméticos em vários pontos do país. Foi nessa época em que começou a aceitar estudantes, como o Dr. M.K., com apenas 16 anos. Iniciava alguns até além da terceira carta de tarô, bem como se correspondia com muitos discípulos em outras partes do mundo. Fazia hipnose, lia cartas dentro de envelopes lacrados, localizava objetos escondidos, entre outras coisas. Comprou motos e carros, indo frequentemente aos caNegritompos para buscar ervas especiais. Durante essa época, atendia pessoas pedindo ajuda, prevendo o futuro, contribuindo à busca de exilados da Guerra e achando os corpos de pessoas afogadas usando, como ponto de auxílio, fotografias. Também, na cozinha de sua casa, mantinha um laboratório no qual fazia remédios e elixires alquímicos.

Publicação dos Livros, Prisão e Morte

Formou-se como naturopata e daí vem sua grande influência em condensadores fluídicos, ervas e medicamentos naturais.

Ditou, com a ajuda de uma de suas discípulas em Praga, Otti Votavova, os quatro primeiros volumes científicos dos cinco que pretendera escrever. O quarto, O Livro de Ouro da Sabedoria, já estava pronto, mas foi confiscado e destruído completamente pelos oficiais do Governo. O quinto livro de Bardon, relativo à quinta carta de tarô, era relacionado à Alquimia.

Bardon foi preso sob acusação (sem provas) de charlatanismo e foi obrigado a fazer trabalhos forçados. Depois, foi preso de novo em 26 de março de 1958, sob a acusação de preparação de drogas ilegais. Se essa prisão foi apenas um pretexto para outra coisa, como dizem as teorias sobre Hitler e a Loja 99, não sabemos até hoje. Nem sabemos o porquê de ter morrido de, provavelmente, inflamação no pâncreas, após comer um pedaço de presunto defumado que sua própria esposa preparou. Isso aconteceu no dia 10 de julho de 1958. Há muitas teorias sobre sua morte, desde a de que envenenaram esse presunto defumado até a de ele ter se suicidado. Como disse, não sabemos de nada concreto, nem provavelmente saberemos.

Legado

Franz Bardon deixou seus três primeiros livros sobre Magia Hermética, que foram traduzidos e publicados em muitos países do mundo. Frabato também foi publicado, a biografia de Bardon, escrita por Otti Votavova, mas não é visto como exatamente confiável. É mais um romance sensacionalista do que uma retratação fiel da realidade. Votavova diz que não alterou nada do texto original, e que foi o editor que modificou o livro inteiro, outros dizem que a própria Votavova romanceou a biografia.

Os trabalhos de Bardon causam reações diferenciadas nos estudantes do Oculto. Parece que a maioria deles diz que sua trilogia é uma das melhores já publicadas sobre Magia Hermética, outros o criticam como sendo “complicado”, “difícil”, “irrealizável”. Alguns chegam até a caracterizá-lo como o melhor autor hermético do século XX.

Além da trilogia de trabalhos científicos e a “biografia”, um volume de Perguntas e Respostas herméticas foi publicado e também o livro Memórias de Franz Bardon, escrito por seu filho Dr. Lumir Bardon e o Dr. M.K., discípulo direto de Bardon.

FONTE: Wikipedia

4 comentários:

  1. Oi... ótimo trabalho que você esta fazendo com esse site... gostaria que se possível, vc me esclarecesse algo, até hj não entendi oq essa frase quer dizer:

    “A lei é o amor, mas o amor submetido a uma forte vontade”

    Como assim "submetido a uma forte vontade"? Já pensei muito a respeito da frase "original"... mas até hj não consegui enteder...

    Se puder me iluminar nessa questão ficaria muito grato!!
    Obrigado!!

    o/

    ResponderExcluir
  2. Parafraseando Aleister Crowley, Franz Bardon quis dizer por "A lei é o amor, mas o amor submetido a uma forte vontade" que o mago não deve ser marionete de paixões e amores descontrolados. Ele deve ter a FORÇA de vontade necessária para não sucumbir a essas "tentações". "A lei é o amor" significa aquele amor cósmico, universal, no qual o mago vê em toda a Humanidade não entidades separadas de si mesmo, mas sim partes dele próprio, e passa a amar genuinamente os outros como se fossem sua própria família. Quando Bardon diz "mas o amor submetido a uma forte vontade", ele quer dizer que o mago não deve sair do seu equilíbrio. Ele não deve ficar obsessivo demais por alguém, nem estabelecer uma paixão como o ponto central de sua vida.

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante o que escreveu... é algo a se considerar com certeza...

    ResponderExcluir
  4. tenho nos ultimos anos sentido algo estranho com
    o meu corpo,sinto de vez equanto minha coluna fria
    ate minha cabeça, e dai sinto que estou dentro de
    um monte de roupa, a no meu abidomem começa um calor e sinto pareçe felicidade e sinto meu corpo leve e ele começa tremer, tenho 17 anos sinto isso
    des dos 9 mais quanto estava quase dormindo, hoje sinto a hora que eu quizer, em qualquer lugar, sinto tambem um tipo de uma flor na minha cabeça abrindo e fechando. postei esse comentario aqui,para achar resposta o que ta acontecendo comigo?Por favor respondam rapido.

    ResponderExcluir