Dicas para o Treinamento Mágico

Nós todos compreendemos, é claro, que existem tipos diferentes de estudantes, e, dessa maneira, eles progridem de modos distintos devido à natureza de suas mentes e espíritos. Alguns estudantes são muito bons em se deixarem conduzir pelo treinamento mágico. Mas o que acontece quando eles se encontram estagnados? Alguns estudantes são bons em serem muito rígidos consigo mesmos e em distinguirem metódica ou logicamente seus sucessos de seus fracassos de modo que eles se sentem em maior controle sobre seu treinamento. Mas o que acontece quando o fluxo de progresso de seu treinamento mágico aumenta e eles se tornam teimosos demais para segui-lo? Tal coisa como a “maneira certa” de progresso não existe. Existem, certamente, muitas maneiras incorretas, e, assim sendo, esse é um dos perigos do caminho, que invoca a necessidade de professores, mas não existe um único método de prática e avanço que todos deveriam seguir. Isso ocorre porque todos vocês são inclinados a uma de sete tendências e modos de expressão.

Olhemos alguns exemplos, os quais, eu acho, beneficiarão alguns.

1. Nos primeiros anos de meu treinamento, eu era obcecado em manter o diário das minhas práticas mais detalhado que eu pudesse. Eu tenho uma caixa cheia de diários desse período. Nesse ponto no meu treinamento, eles me ajudaram imensamente. Eu não tinha professor encarnado em quem me apoiar, e ninguém para me repreender sobre práticas que eu não havia feito ou me ensinar sobre as armadilhas de várias técnicas. Assim, mantendo um diário detalhado, eu fui capaz de ver como tudo na minha vida era afetado pelo treinamento mágico, e como, em dias em que eu tirava uma “nota baixa”, havia tendências no que eu fazia durante o dia fora do treinamento, e da mesma maneira em dias nos quais eu tirava uma “nota alta”. Dessa maneira eu fui capaz de ver ciclos, ao ponto que notei que em dias diferentes do ciclo lunar eu tiraria mais ou menos a mesma nota, e era capaz de determinar o forte efeito da lua no trabalho espiritual. Eu era muito severo comigo mesmo se perdia um dia que fosse, e me puniria de acordo fazendo jejum das coisas que gostava. Era comum para mim fazer uma tabela e classificar meu sucesso em minhas práticas em três modos: 1) ao fim de cada dia eu classificaria o sucesso das práticas, 2) ao fim de cada semana eu classificaria o sucesso e a consistência das práticas, e 3) ao fim de cada mês eu avaliaria o meu progresso geral naquele mês. Descobri que o uso de números era de grande ajuda. A conta era simples. Se, no fim do mês, depois de adicionar todos os números, eu tinha uma nota final alta, então eu havia feito um bom progresso aquele mês. Se eu tirei uma nota baixa, eu sabia que precisava trabalhar com mais esforço e ajustar a minha vida para ajudar mais o meu treinamento mágico. Descobri que essa ideia era geralmente verdadeira e funcionou para o meu benefício de uma maneira prática.

2. Eu não mais mantenho um relato diário das minhas práticas. Depois de alguns anos descobri que, ao entrar em níveis mais profundos em minhas meditações, o sucesso naqueles dias era menos em relação aos resultados e mais à quanta “limpeza espiritual”[i] eu havia executado. Os dias nos quais o treinamento mágico era mais difícil eram os melhores dias. Quando escrevia num diário, eu julgava as minhas práticas do ponto de vista da paz e da serenidade sentidas posteriormente durante o dia. Geralmente, contudo, eu mantenho apenas dois diários importantes para um mago: o diário detalhando todas as conversações com espíritos, e o diário detalhando todo trabalho ritual e seus efeitos.

3. Os números 1 e 2 acima podem ser invertidos, ou nem serem feitos. Depende da pessoa. Eu tenho uma mente muito lógica, portanto eu me beneficiava bastante pessoalmente ao quebrar meu treinamento em números. Posteriormente, eu fiz o oposto e apenas me deixava levar pelo fluxo[ii] do treinamento. Um método não é melhor que outro, e houve várias vezes nos quais esse fluxo parava e eu tinha que me voltar aos métodos estritos da manutenção do diário. Para algumas pessoas esse “fluxo” vem primeiro.

4. Alguns estudantes não ligam nem para esse “fluxo” nem para o diário. Eles ligam apenas para o que o professor diz sobre o seu progresso. Se o professor diz que estão progredindo bem, então eles procedem. Se o professor diz outra coisa, eles modificam seu treinamento.

5. Alguns estudantes se importam mais com as sensações, e as experiências que recebem da prática. Para a maioria dos estudantes, esse é um caminho muito defeituoso para avaliar o treinamento mágico, mas para alguns tipos mais sensitivos que sempre têm experiências incríveis com toda meditação (nem todas as mulheres são desse tipo, mas esse tipo é constituído praticamente por mulheres) ele é um método preciso para se medir o sucesso. Por exemplo, se um estudante se acostuma a sentir habilidades psíquicas exaltadas depois da prática, mas não as sente certo dia, então é seguro e lógico para ele concluir que a prática foi menos bem-sucedida que o normal naquele dia.

6. Alguns estudantes são bastante dependentes de grupos, e precisam do apoio de colegas estudantes e professores para procederem. Muitos estudantes possuem essa característica a certo grau.

7. Do contrário, alguns estudantes são extremamente individualistas e se isolam espiritual, mental e socialmente. Tais pessoas possuem também a tendência a um ego que segura o progresso espiritual, e normalmente terão de encarnar muitas vezes para alcançarem progresso porque eles renunciaram professores. Eles encarnarão até perceberem que precisam de um professor.

Agora, somente porque há sete exemplos, não os associe aos Sete Raios[iii]. Expliquei simplesmente algumas características comuns de diferentes tipos de estudantes, muitas das quais são possuídas a certo grau por cada estudante. O que é, portanto, uma boa seleção de características para um estudante que deseja maximizar seu progresso?

1. Humildade:

a. Quando estudantes brigam entre si, não há vencedor. O vitorioso é aquele que humildemente se desculpa em nome da harmonia do grupo.

b. Não pense que você sabe mais da prática espiritual do que o professor. O professor tem encarnações de prática.

c. Não se vanglorie, ou diminua outrem.

2. “O discípulo deve ser mais rápido em escutar do que o Mestre em falar.” – Hermes.

3. Não faça nada em excesso. Até praticar em excesso (6 ou mais horas por dia) é prejudicial no começo. De todas as coisas que podem ser feitas em excesso, as mais prejudiciais são comer, dormir e desperdício de energia sexual.

4. Não se associe demais com pessoas negativas. Se o ambiente do seu trabalho é negativo, é altamente aconselhável obter um novo emprego (quando possível) para o bem do seu treinamento. Não gaste tempo demais com amigos que seguem um caminho contrário ao progresso espiritual, porque eles são grandes tentadores.

5. Pratique todo dia na mesma hora. Isso estabelece o hábito e o circuito magnético do treinamento mágico.

6. Não pratique das 13h às 15h quando possível, porque a energia desse período do dia não é ótima.

7. Faça o treinamento ao nascer do sol, pôr do sol ou meia-noite. De 1h às 3h é particularmente bom, bem como 3h às 5h.

8. Em noites de lua cheia, treine à luz da lua. A Fraternidade Branca lhe enviará energia para lhe ajudar.

9. Nunca profane objetos ou nomes sagrados. Nunca profane outra religião. Não discrimine entre religiões.

10. Gaste 15 a 30 minutos na luz do sol todos os dias, preferivelmente enquanto treina.

11. Reze ao acordar e antes de dormir.

12. Se você precisar treinar depois de um longo dia de trabalho ou após estar com pessoas negativas, tome um banho frio primeiro e visualize a negatividade saindo de você na medida em que se lava. O treinamento será melhor. Um banho de banheira é melhor que o de chuveiro para esse objetivo.

13. Evite carne vermelha ao máximo que a sua saúde permitir. Animais com carne vermelha são de inteligência mais elevada e, portanto, capazes de expressar uma profundidade mais intensa de emoção que impregnará sua carne. Essa energia emocional se transfere para você depois da refeição.

14. Se você come carne, coma primariamente aves e peixes que eram selvagens ou mantidos em fazendas de uma forma boa e saudável sem química, e com boas condições de vida.

15. Não evite a carne simplesmente pelo idealismo. Os corpos de algumas pessoas simplesmente precisam de carne para manterem uma boa saúde. Se você deseja ser vegetariano, mas sê-lo o afeta negativamente, então espere até que esteja mais avançado no seu treinamento para gradualmente retirar a carne.

16. Pratique o distanciamento[iv]. Quando os sentidos desejam algo, vitalidade preciosa é gasta.

17. Não se preocupe demais sobre as coisas. Ansiedade e nervosismo gastam energia preciosa.

18. Não pense mal dos outros.

19. Sempre execute suas tarefas. Não renuncie, pensando secretamente que é o caminho fácil enquanto proclama externamente que é o mais difícil.

20. Tenha fé em Deus, nos professores e no treinamento mágico.

21. Pratique amor e compaixão.

22. Não se veja como melhor do que o próximo simplesmente por causa do seu treinamento. Desenvolva a compaixão àqueles que não têm a Teurgia ou outro caminho em direção à Deus.

23. Pratique a abnegação.

Esta lista poderia continuar por um bom tempo, mas eu acho que esses são bons pontos básicos para ajudar a assegurar o progresso espiritual.

Veos.



Notas do Tradutor

[i] Aqui Veos provavelmente se refere ao processo de “limpeza” espiritual que queima o karma acumulado e eleva o nível de consciência do praticante. É um processo que resulta de pranayama, Kriya Ioga e outras formas de meditação profunda.

[ii] O “fluxo” mencionado aqui, no original a “onda” (wave) do treinamento mágico, deve ser pensado como uma tendência que impele o estudante a praticar e a continuar no caminho. É como se você “entrasse no embalo”.

[iii] Sobre os Sete Raios (Seven Rays), leia a obra da teósofa Helena Blavatsky e seus seguidores (C.W. Leadbeater, Alice Bailey, etc.).

[iv] No original, detachment. O “destacamento” ou “distanciamento” ocorre quando o estudante se distancia das coisas materiais e passa a observá-las como elas realmente são: transitórias. É um tema importante no misticismo oriental, notadamente a Ioga e o Budismo tibetano.

7 comentários:

  1. Ohh será que haverá uma maior atividade aqui?!
    Espero que sim, este site tem me ajudado imensamente desde que o conheci. Será bom ver novos artigos, sempre respeitando a rotina de quem nos disponibiliza estas traduções.

    ResponderExcluir
  2. Estou grato por estas porque a muito que comecei mas sempre paro e recomeço devido a distracções ou falta de energia.

    ResponderExcluir
  3. Interessante a doutrina desses rapazes. Legal não.

    Fiz parte desse grupo deles. Ainda lembro do começo do treino , prometiam mundos e fundos... era tudo de graça, depois tinha que pagar 100 U$, depois sem avisar se tornou 30 U$ o mês...

    Quando vi me espantei como eles eram gordos e fumavam, e isso que diziam ser faixas pretas de karate.

    Falavam de moral, mas tiravam "fotinhas" com a suas namoradas de mini saia e decotinho, fazendo caras e bocas e postavam no facebook.

    Todo mundo precisa de professores, mas enfatizar essa necessidade dá um poder despótico ao suposto professor que pode fazer uma lavagem cerebral na rapaziada mais nova, (99% do grupo de Veos e Profecia) e cobrar grana.
    Como por exemplo os 4000 mil dólares que pegaram de um cara de fora dos usa, a pretexto de viajar para a Índia e fazer uma iniciação importante - que depois foi desmarcada sem explicações, e proibiram conversas sobre o assunto no fórum.

    Queremos professores sim, mas não trambiqueiros. Não confiem nesses caras meu povo.
    Grato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poderia falar mais sobre isso?

      Excluir
    2. ELes eram trambiqueiros com intenção de conseguir estudantes para os sustentar economicamente e vampirizar energia.

      Aqui está a história toda: https://tdssanctuary.wordpress.com/chris-murphy-veos-daskalodos/

      Enfim, uma seita das mais espúrias e canalhas, não que eles não entendessem nada de energia, mas que mentiam muito, provavelmente causassem alguns fenômenos para manipular os alunos através de macumbas ou coisa do tipo. Diziam as más linguas em fórums que eles praticavam uma espécie de vodu haitiano escondidos, comprensível pois tem uma porção de ordens tipo O.T.O que adotaram essas práticas.

      Cuidado com esses 2, e principalmente com os indianos trambiqueiros que andam com eles, são perigosos, envolvidos em tantra negro. ELes falarem em FRanz Bardon foi apenas para atrair pessoas, igual a um macumbeiro do sul fez para conseguir "alunos" aqui no Brasil.

      Excluir
  4. Muito parecido com ensinamentos de sivananda
    veja
    http://www.sivanandabrasil.com.br/20inst/

    20 instruções espirituais muito importantes
    Swami Sri Sivanandaji Maharaj*

    ResponderExcluir
  5. Eu me filiei na escola de Veos, o autor desse texto.
    Não precisei pagar, pois ganhei bolsa graças a crise do Brasil.
    A escola passa coisas interessantes,mas depois de um tempo ela cobra 100 dolares por "grau" + uma mensalidade de 30 dolares.
    Tem alguns textos interessantes, mas não foca na prática mágica como Bardon.
    Pelas explicações dos próprios professores, a prática da escola se resume a certos rituais, ou seja, orações decoradas, e nada de magia pura, como ensina Bardon.

    ResponderExcluir