Outras Obras


FRABATO, O MAGO
Por (Franz Bardon) Otti Votavova

Antes de sua morte em julho de 1958, Bardon deu a sua discípula e secretária, Otti Votavova (1903-1973), um esboço para sua biografia. Bardon deixou que Sra. Votavova completasse com os detalhes e o tornasse um livro legível. Infelizmente, para nós, o que resultou, embora uma boa leitura, não é uma biografia estritamente acurada.

O manuscrito de Frabato não foi completado até a morte de Bardon e não foi publicado até 1979. Dieter Ruggeberg, o editor, escreve que foi com algum medo que publicou Frabato sob o nome de Franz Bardon, porque foi a Sra. Votavova quem realmente o escreveu. Mas, eventualmente, ele se convenceu a fazê-lo porque sentiu que listar Bardon como autor daria ao livro a atenção que merecia.
Quando eu leio Frabato, eu me lembro do livro de Bulwer-Lytton, Zanoni. Ambos compartilham alguns detalhes da vida de um homem dedicado ao caminho da iniciação hermética. Frabato, porém, cobre apenas um período moderado da vida de Bardon (dos tempos em que ele era um artista de palco até um pouco antes de sua prisão final), mas é suficiente para dar ao leitor uma idéia do homem e de seus trabalhos. Quando Frabato falha, em minha opinião, é quando descreve a vida íntima de Bardon. Apesar de tudo, Frabato dá apenas pouca informação sobre o porquê de Bardon escrever o que ele escreveu.
Acima de tudo, Frabato vale a leitura – desde que você se lembre de que não é, no total, verdadeiro. De especial interesse para os estudantes de Bardon é um memoriam por Sra. Votavova (escrito dois meses depois a morte de Bardon), um epílogo escrito pelo Sr. Ruggeberg (em 1979) e dois apêndices. Ambas as notas de Sra. Votavova e do Sr. Ruggeberg cobrem poucos dos detalhes da vida de Bardon que não estão presentes em Frabato.
O primeiro apêndice é um fragmento (apenas parte dos três primeiros capítulos) de um manuscrito em criação intitulado O Livro de Ouro da Sabedoria. Supõe-se que esse livro dizia a respeito da quarta folha ou carta do Tarô (O Imperador). Para nossa grande perda, não resta nenhum transcrito completo do trabalho, mas o que permaneceu é muito intrigante.
O segundo apêndice é um manuscrito intitulado “Alta Magia”. Quando Sr. Ruggeberg o adicionou à nova edição de 1982 de Frabato, ele achava que fora escrito pelo próprio Bardon. Depois disso, a verdade apareceu e agora sabemos que esse era uma parte do livro Sete Letras Herméticas por George Lomer. Aparentemente, Bardon estava tão impressionado por esse pequeno livro que o traduziu privadamente (antes de escrever IAH), do alemão original para o tcheco, para a edificação de seus próprios discípulos. A diferença entre a versão original de Sete Letras Herméticas e a que apareceu em Frabato pode ser devida ao fato de que foi traduzida do alemão para o tcheco e, então, do tcheco para o inglês! Muitos estudantes recentes dos escritos de Bardon foram surpreendidos pelas diferenças entre o que foi apresentado em Alta Magia e o que está presente em IAH. Alta Magia é interessante (eu não li As Sete Letras Herméticas), mas empalidece em comparação com IAH.



PERGUNTAS E RESPOSTAS

Por Franz Bardon
Esse pequeno livro, publicado por Dieter Ruggeberg em 1997, foi montado por um grupo de estudantes de Bardon lá pelos anos 1950, antes da publicação dos três livros de Bardon. O que há nessas páginas são as notas que eles tomaram dos ensinamentos orais de Bardon.
Essas notas foram depois editadas pelo Dr. Kumar com Silvia e Ulrich Ohm, e arranjados em quatro seções: sobre o plano mental, o plano astral, o plano físico e a função do Akasha. O livro é apresentado, como seu título sugere, num formato perguntas-e-respostas, com um total de 185 delas.
Embora não contenha nenhuma revelação impressionante ou discernimento para quem leu os outros livros de Bardon, é, sem dúvida, de grande valor para o estudante. Em PeR alguns dos tópicos dos quais Bardon fala em outros lugares são amplificados e explicados em maior detalhe. Seu maior valor, como o Sr. Ruggeberg fala, é uma inspiração para as meditações do estudante, porque, certamente, há amplos estímulos para o pensamento nas páginas de PeR.



MEMÓRIAS DE FRANZ BARDON

Esse pequenino livro tem de ser traduzido ainda para o inglês. Consequentemente, eu não o li e só sei um pouco sobre ele. Do que eu entendo, contém reminiscências de Bardon escritas por aqueles que o conheciam. Contém também algumas fotos relativas a sua vida.
[N.T.: Memórias de Franz Bardon foi traduzido e publicado na língua inglesa e pode ser encontrado na Amazon e no próprio site da editora, Merkur Publishing. Há alguns trechos de Memórias de Franz Bardon aqui.]

Nenhum comentário:

Postar um comentário