Introdução

É uma honra apresentar a vocês algumas de minhas reflexões sobre o curso de iniciação apresentado em O Caminho do Verdadeiro Adepto (CVA) de Franz Bardon.

[Eu utilizarei a edição de 1999 da Merkur Publishing ao curso dos meus comentários. As diferenças entre essa edição e as edições anteriores são poucas. A única mudança é que a tradução atual para o inglês é mais fácil para o leitor moderno do que a tradução original.]

Quando um estudante aborda esse livro, pela primeira vez, questões inevitavelmente surgem. Embora a melhor maneira de responder essas questões seja o estudante meditar, refletir e chegar às respostas sozinho, isso raramente satisfaz o novato e muitos colocarão o livro de lado, frustrados. Nos dias de hoje, agora que a Internet nos oferece um modo fácil de entrar em contato com outros que têm realizado o trabalho de CVA por muitos anos, há pouca razão para o iniciante tornar suas simples questões barreiras para o progresso.

As respostas às questões mais profundas, porém, deverão ser buscadas pelos próprios estudantes. Nesses assuntos, a experiência é, ainda, o único mestre confiável!

As considerações que profiro aqui vêm da minha experiência pessoal ao trabalhar ao curso dos Graus de CVA. Cabe ao estudante provar ou refutar o que eu escrevi através de sua própria execução do trabalho. O que escrevo tem o objetivo apenas de detalhar algumas das coisas que Bardon delineou, não substituir o que Bardon escreveu. Espero que minhas palavras, combinadas com o texto de CVA, tornarão mais fácil ao estudante começar o trabalho com uma confiança maior.

Eu cobrirei apenas a seção de CVA da “Teoria” até o Grau IV. Além desse ponto, o estudante deve alcançar um estágio no qual pedir aconselhamento de uma fonte externa será desnecessário. Para respostas a perguntas que se relacionam ao Grau V e além, é melhor procurar grupos online como o fórum FranzBardonMagi no yahoogroups.com. Contudo, na minha experiência, tais questões são raras exceto quando elas vêm de alguém que não alcançou aquele ponto no trabalho.

CVA apresenta um curso coerente de iniciação. Ele, diferente de muitos outros sistemas modernos de iniciação, começa no início. Cada Grau é construído em cima daquele que o precede. Portanto, é prudente que o estudante não pule nada no caminho. O que parece simples, no início, provará ser essencial para o sucesso no fim.

A iniciação não é uma corrida. Pouco importa se leva 30 anos para você alcançar o Grau X ou se leva apenas 10 anos. Progrida no seu próprio ritmo (sem perder tempo) e exercite tanto a paciência quanto a perseverança. Eu não tenho nenhuma dúvida de que a pessoa que sinceramente deseja assumir com esse trabalho alcançará o sucesso desejado se ela, firmemente, prosseguir com CVA.

Cada um dos dez Graus em CVA é dividido em três categorias de trabalho: o Espírito (Mental), a Alma (Astral) e Material (Corpo). Cada uma dessas categorias deve ser trabalhada em conjunto. Isso traz um progresso balanceado que é essencial ao avanço verdadeiro na magia. Nunca o estudante deveria, por exemplo, ir dos exercícios da parte Material do Grau I para os exercícios do Material do Grau II, até que os exercícios das partes do Espírito e da Alma também tenham sido dominados. Se certa seleção de exercícios num Grau é dominada facilmente por você, e você completa essa categoria de exercícios antes de completar as outras categorias do Grau, então simplesmente melhore seus sucessos, ao mesmo tempo em que termina o resto dos exercícios do Grau. O padrão de sucesso que Bardon descreve para as três partes de cada Grau deve ser alcançado antes de se progredir para o próximo Grau.

O trabalho em CVA requer disciplina e comprometimento. No início, o estudante precisará encaixar e acomodar os exercícios à sua rotina diária. Eu aconselho que, se possível, o iniciante devote pelo menos uma hora de manhã, ao acordar, e uma hora à noite antes de ir dormir. Mas permita-se exceções ocasionais a esse regime – cinco dias por semana são suficientes, mas sete dias é melhor. Com o tempo essa disciplina se tornará uma alegria e o período, que no início é um fardo, passará rapidamente.

Apesar de tudo, é importante considerar isso ANTES de começar o trabalho. Primeiro, o estudante deveria ler CVA algumas vezes e ter uma ideia do que exatamente será requerido. Se você não vir nenhuma maneira na qual a sua vida ocupada pode conseguir acomodar o tempo requerido para esse tipo de trabalho, então é melhor atrasar o início do trabalho até a hora em que estiver capaz de “remodelar” sua vida. Enquanto isso, você pode iniciar as mudanças em sua vida que lhe permitirão, no futuro, o tempo para esse trabalho.

Seja bom para si mesmo. A iniciação não tem o objetivo de ser uma tortura. Ela deveria ser, se não divertida, ao menos interessante e inspiradora. Melhorar a si mesmo pode ser (e em minha opinião, DEVERIA ser) um alegre passatempo.

A iniciação não é um caminho destinado a grandes riquezas nem poder sobre os outros. Se essas são as suas metas, você não encontrará sucesso genuíno na busca da magia. É essencial perguntar a si mesmo porque está escolhendo esse trabalho. É sábio passar um bom tempo pensando sobre suas razões para tomar essa responsabilidade.

No desenrolar de CVA, suas intenções serão testadas várias e várias vezes. Esses testes marcam as várias “armadilhas” ou “emboscadas” que são comentadas por aqueles que progrediram no trabalho. Apenas os motivos “corretos” levarão o estudante por certas partes do caminho da iniciação. Se os seus motivos forem egoístas demais, você se encontrará num beco sem saída e apenas uma reavaliação de seus motivos lhe libertará. Isso é uma coisa boa e não foi designada para ser um bloqueio, per se. Ao contrário, é uma parte vital da iniciação que garante que o estudante ficará no curso previsto ou desistirá do trabalho.

Nesta era moderna, na qual a informação é tão facilmente acessível, temos o hábito de pedir respostas a fontes externas. Perdemos o hábito de procurar dentro de nós por respostas e tentar ao máximo descobrir as coisas por nós mesmos. Embora seja fácil acumular muita informação e armazená-la em nossas mentes como conhecimento, é apenas através da experiência que a informação é transformada em compreensão. O processo da iniciação é de experiência, não uma mera acumulação de informações. Dessa maneira, é importante contemplar cada ideia que você encontrar em CVA e descobrir coisas por si o sempre que possível. Isso é especialmente verdadeiro em relação à seção de Teoria. Muito do que Bardon diz nessa seção é um mero esboço dos fatos e tem o objetivo de ser mais algo para provocar a sua meditação e contemplação do que uma resposta para todas as suas perguntas. Por favor, tenha a certeza de que algumas das partes mais confusas se esclarecerão na medida em que você adquirir mais experiência.

A iniciação requer do estudante uma auto-honestidade radical. Fique alerta para não se enganar sobre ter alcançado algo que, na verdade, você não alcançou. E sempre esteja pronto para, amavelmente, criticar a si mesmo.

Cada um de nós possui, dentro, uma fonte das mais confiáveis de orientação. Essa é a voz interior da nossa consciência individual. Uma das mais importantes lições que aprendi foi SEMPRE ouvir a minha consciência. Ela nunca me levou na mão e eu cheguei a um ponto no qual eu NUNCA desobedeço as suas ordens. Eu aconselho o mesmo para você. Ouça e siga a sua consciência e seu sucesso continuado será assegurado!

Eu lhe desejo o maior sucesso no seu caminho de iniciação!

8 comentários:

  1. Olá, é preciso ser iniciado em alguma ordem esotérica para praticar o estudo dos livros de Bardon? Ou o não-iniciado pode estudar?

    ResponderExcluir
  2. Não é preciso ser iniciado em qualquer ordem, ou ter qualquer experiência em magia para estudar o sistema de Franz Bardon.

    Todos podem começar a estudar, não importando sua religião, sua idade, etc.

    ResponderExcluir
  3. Olá, eu queria saber se é possivel praticar a morte psicológica para acelerar o desenvolvimento no sistema.

    ResponderExcluir
  4. Weshley,

    Morte psicológica, sigilos e hipnose já foram sugeridos para "acelerar" o sistema, mas digo uma coisa que aprendi recentemente: acelerar é a mesma coisa de querer tomar um atalho. O caminho não deve se tornar mais fácil para atender aos seus desejos; você deve adaptar-se ao caminho. E esse caminho é longo, árduo, mas ao mesmo tempo muito recompensador. É um trabalho que deve ser meticuloso, e "acelerar" nele só causa falhas e problemas. Eu tive o mesmo desejo de você, de "acelerar" o treinamento, mas agora percebi que esse desejo é incorreto. Pelo menos no meu ponto de vista.

    ResponderExcluir
  5. "Dá um passo em minha direção e darei mil em tua direção" Jesus

    Bem esse caminho de prática e estudo de bardon é devagar e sempre, com atenção, persistência, prudência, paciencia e propósito de subir degrau.

    Uma maneira simples e eficaz é fazer a nossa prática com devoção, com gosto, com a meta de chegar cada vez mais perto da Verdade.

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de saber se os sigilos 55 a 58 da orbita de Mercúrio estão faltando ou estão em uma outra edição ?

    ResponderExcluir
  7. Boa noite, como poderei, com certeza, reconhecer que o objetivo/aprendizado dos 3 níveis foram atingidos e poderei passar a um próximo?
    Att André Cunha .'.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André, de acordo com meus estudos e experiências só você pode dizer quando alcançou algo. Isto é para ser sentido.

      Excluir