A Chave para a Verdadeira Quabbalah



O terceiro (e final) volume na série de Franz Bardon é A Chave para a Verdadeira Quabbalah (publicado em 1957). Pelo menos essa é a última parte publicada e completa. Um manuscrito parcial de um quarto livro foi depois impressa como apêndice a Frabato e há rumores de que existiu um manuscrito do quinto livro sobre a Alquimia, mas o último foi perdido quando Bardon foi preso pelo governo comunista da Tchecoslováquia.
A ortografia “Quabbalah” é única mas é na verdade tão boa quanto qualquer outra tradução da palavra hebraica para o inglês. [Eu, porém, usarei a ortografia ‘kabbala’ no que se segue (é mais fácil de digitar e mais automática para mim).] Esta é meramente uma reflexão da singularidade do que você encontrará sob as capas desse livro!
Se você espera encontrar um livro da Kabbala ocidental ou um na cosmologia da Kabbala judaica, então você ficará desapontado, porque a “Quabbalah” de Bardon não é nem uma nem outra. A técnica básica e o foco sobre os sons das letras é parecido com uma antiga prática judaica da Kabbala, mas os exercícios são de origem puramente hermética.
A Kabbala de Bardon não é dependente das 22 letras do alfabeto hebraico. De fato, ele emprega os sons das letras alemãs. As fórmulas hebraicas que Bardon explica são todas compostas dos sons das letras germânicas e são aproximações do hebraico. Infelizmente, nem o hebraico, o alemão nem o inglês podem acomodar todos os sons que a boca humana pode criar (eu acho que talvez o sânscrito se aproxima disso). Dessa forma, há muitas outras fórmulas do que aquelas que Bardon menciona. Contudo, esse fato é irrelevante porque CVQ ensina o estudante a técnica com a qual o capacitará a verdadeiramente falar a linguagem universalmente sagrada da Kabbala. A fórmula cabalística não depende de palavras no senso comum – sua linguagem é formada pela intenção e de acordo com o fluxo da Natureza.
Como com PEM, Bardon previne o estudante de que o trabalho da Kabbala não deve ser iniciado até que se completem os oito Graus de IAH ou um treinamento semelhante. Em um trecho ele realmente diz que é até melhor que o indivíduo tenha ganhado experiência com PEM. O treinamento de CVQ requer o mesmo tipo de habilidades que PEM requere do estudante e, se esses pré-requisitos não estão presentes, então pouco (se houver) sucesso resultará. Certamente uma pessoa que COMEÇA com CVQ e pensa que vai dominar a arte da linguagem criativa não alcançará sucesso algum até depois de muitas décadas de prática ardente, e até aí não há garantias. Essa arte, até mais do que a evocação, requer um alto grau de desenvolvimento prévio.
CVQ é dividido em três seções. A primeira seção é intitulada “Teoria” mas não é sobre as complexidades da cosmologia cabalística. Ao invés disso, é sobre a teoria por trás da pronúncia criativa.
A segunda seção é denominada “Prática – Pré-condições” e serve para ensinar o estudante a técnica de pronúncia das fórmulas simples, de uma letra apenas. Depois de uma breve introdução, essa seção é dividida nos Graus I até VII, similar a como IAH é estruturado. As lições começam no início, como deveria ser.
Bardon fala de um tipo quadripolar de ação requerido para a verdadeira pronúncia cabalística, no qual cada pólo corresponde a um Elemento. O primeiro Elemento, naturalmente, é o Fogo. O estudante começa com a “pronúncia” (isso não tem nada a ver com a fala física) das letras únicas na esfera mental, com uma certa cor e forma. Os exercícios são parecidos a aqueles achados em IAH, embora eles sejam infinitamente mais complexos.
A seguir, o estudante aprende a empregar o segundo pólo, correspondente ao Ar, ao “pronunciar” as letras únicas numa nota ou tom particulares, simultaneamente com a sua pronúncia com cor e forma.
O terceiro pólo (Água) da ação quadripolar envolve a “pronúncia” através da evocação de um sentimento ou sensação correspondente à letra.
Esses três pólos formam o que Bardon chama de “concentração de três sentidos” requerida para a pronúncia cabalística básica. Depois disso, Bardon provêm uma exposição breve e concisa sobre o significado dos números 1 até 10. Isso dá uma pista sobre o que é o quarto pólo (Terra) da ação quadripolar. Em outras palavras, é a pronúncia das letras com todos os três tipos de concentração dos sentidos, ativados ao mesmo tempo, e baseados nas 10 idéias criativas originais.
Bardon fecha essa seção dando instruções para o uso da primeira das quatro chaves, nos quatro reinos (Akasha, Mental, Astral e Material) e como causar efeitos em qualquer um desses reinos ou em todos simultaneamente.
A terceira e final seção de CVQ é intitulada “Prática – A Magia das Fórmulas” e se dedica às três chaves restantes. Cada chave se refere ao número de letras envolvidas em cada fórmula. Portanto, a segunda chave envolve a combinação de duas letras; a terceira envolve três letras, e por aí vai. Há dez chaves como essas de acordo com Bardon, mas ele dá instruções para apenas as quatro primeiras. No fim da décima segunda parte, Bardon fala sobre as fórmulas elementais e o uso dos Nomes Divinos e dos Seres.
Há alguns erros específicos e omissões na última parte de CVQ. Eu suspeito que isso foi intencional e feito para oferecer um grau de proteção desses profundos mistérios e para proteger o amador que brincasse com elas. Ela também serve como um teste das verdadeiras habilidades do estudante, porque vai requerer que ele confira com entidades não-corpóreas os erros e omissões, que as entidades corrigirão. Essa habilidade é um requisito para o verdadeiro cabalista e sem ela o estudante será capaz de penetrar apenas superficialmente nesse Mistério dos Mistérios.
Verdadeiramente, qualquer pessoa que ultrapassa até a segunda seção e é capaz de pronunciar as fórmulas de letras únicas, não precisa de guia físico além desse ponto. Alcançar tal alta meta fornece ao mago toda a instrução interna necessária para alcançar até as mais altas metas.


7 comentários:

  1. o link "outras Obras" não serve mais

    ResponderExcluir
  2. Está funcionando agora. Obrigado pelo aviso.

    ResponderExcluir
  3. www.projetonous.com - biblioteca de cabala, autoconhecimento, alquimia, fisica quantica e etc

    ResponderExcluir
  4. quem tiver livros relacionado a magia poderia me enviar(cabala.pesquisa123@gmail.com).
    obg

    ResponderExcluir