Memórias de Franz Bardon: Introdução

MEMÓRIAS DE FRANZ BARDON

Notas Explanatórias sobre o Hermetismo

Prefácio

O hermetismo é um hobby. Ele foi criado para nos tornar mais perfeitos. Como é um hobby, e não uma obrigação ou necessidade, você deveria desfrutar dessa atividade, e se possível ela deveria realmente ser divertida. Aquele que ama seu hobby deveria sacrificar cada momento livre para ele e ter certeza de ter reservado tempo suficiente para ele.O hermetismo requere uma quantidade incrível de paciência e ela pode ser alcançada com entusiasmo e curiosidade pelos exercícios, e você nunca deveria se desencorajar.

Nós nunca deveríamos nos sentir desapontados por causa dos obstáculos, ao contrário, deveríamos estar felizes com eles, porque eles são sinais de que a Providência Divina se preocupa conosco e nos dá a oportunidade de testar e moderar nossas qualidades e poderes. Devemos descobrir por nós mesmos através da introspecção as nossas características, a fim de superar esses obstáculos e ver nossas lacunas. Alguém poderia comparar o caminho da perfeição a um atleta, que melhora suas habilidades pelo treinamento, por exemplo, para o salto a distância. Ele também se esforça para comer de acordo, e toda vez que melhora seu pulo em um centímetro, ele se regozija. Ele sabe que não se tornará o campeão mundial em seu primeiro salto. Contudo, ele está firmemente convencido de que conseguirá a vitória e ninguém pode convencê-lo do contrário usando-se expressões negativas como: “O esporte é um esforço sem significado e mera perda de tempo.”

E é por isso que o hermetismo é um hobby – ele te permite a gastar seu tempo melhor, ao invés de assistir televisão o dia todo e arranjar todos os seus compromissos de acordo com os programas. Esses tipos de coisas vão a tais extremos que as pessoas até agendam suas refeições de acordo com os programas televisivos porque temem perder alguma coisa, até os comerciais. Como meu amigo, o Dr. Lumir Bardon, o filho do Grande Mestre, menciona em suas memórias, seu pai tinha uma televisão, mas ele nunca viu seu pai a assistindo.

É de extrema importância desenvolver os poderes da imaginação em sua juventude e familiarizar as crianças com os exercícios de concentração, e eles deveriam aprender como extrair bons exemplos e conclusões de contos de fadas, para que possam distinguir o bem do mal. O Mestre frequentemente mencionava: “Deve-se desfrutar o bem e aprender do mal.”

O desejo de alcançar o nível da perfeição ou se aproximar o máximo possível dela é inato. A decisão de alcançar esse nível se originou na sua vida anterior. Esse atributo aparece durante a puberdade. Você desenvolve o desejo de saber sobre si mesmo e medir seus poderes e isso pode ir tão longe que você tenta achar seu limite. Isso é quase a mesma coisa quando alguns esportistas usam pesos em seus pés durante uma sessão de treinamento de voleibol – você busca superar a si mesmo. E esse é o caminho correto!

Se o seu entusiasmo dura até uma velhice madura, então as bênçãos são inevitáveis. Você deve trabalhar com consciência, enchendo sua vida inteira com alegria, e enquanto você está no trabalho, nunca perca seu senso de humor, porque você consegue mais quando não está irritado. Você não pára de jogar porque está envelhecendo; você envelhece porque deixou de jogar. Durante sua vida inteira, você nunca deveria perder uma característica de uma criança – a de ver a vida como um grande milagre. Ninguém deveria falhar na experiência e oportunidade de ver esse milagre com seus próprios olhos. A vida pertence a nós, e é por isso que deveríamos desfrutá-la com a maior extensão e encher cada segundo, conscienciosamente, com alegria.

Através de nossa firme convicção, nós nos elevamos a cima de tudo com a certeza de que nunca seremos confrontados por nada que tenha poderes maiores do que os nossos.

Como reconhecemos um hermetista? Ele pode ser alguém que ainda pratica o Hermetismo, poderá ser um adepto ou um mago totalmente desenvolvido? Externamente, você nunca reconhecerá uma pessoa como tal. Essa pessoa vive, trabalha, come, dorme e se comporta como todo mundo; porém, ele o faz 100% conscientemente. Ele usa cada segundo a favor de seu desenvolvimento, e ajuda o seu próximo, o qual está em necessidades, e aqueles que a Divina Providência enviou a ele.

Ele executa seus exercícios e operações mágicas com alegria, curiosidade e entusiasmo. Tudo que faz em sua vida diária, ele faz analogamente, como se fosse uma atividade mágica – pode ser andando, adoçando seu café, ou adicionando ingredientes à sua comida. Ele o faz como se fosse uma atividade mágica de acordo com a ocasião, e a relaciona com números mágicos. Ele imagina que cada gota é carregada com um atributo particular e ele nunca duvida de seu efeito. Como uma criança, ele brinca com consciência com cada pensamento, cada movimento, cada passo, e até antes de dormir ele se influencia e influencia aos outros com bons pensamentos. E ele está sinceramente satisfeito e entusiasmado sobre os menores sucessos que alcança.

Em qualquer momento no qual o Mestre e eu estávamos juntos, era assim que lidávamos com os problemas. Ele frequentemente se ria das minhas idéias estúpidas, embora o assunto fosse sério. Onde está escrito que você deveria chorar quando você faz seus exercícios, ou que você deveria se zangar consigo mesmo e estimar seus resultados dessa maneira? Ou avaliar seus resultados com medo? Não, não é assim que funciona! O Mestre nunca me repreendeu. Porém, ele me contou histórias alegóricas “sobre um mago” que não considerou certas coisas e foi assim que seus esforços resultaram em fracassos. Ou ele me contava como ele tinha errado, e quais resultados foram e como ele tinha ganhado o sucesso. Eu não percebia nesses dias que isso era para mim e que era uma advertência sobre até sobre meu futuro. Ele nunca me contou diretamente que eu deveria deixar de fazer certas coisas ou que eu deveria fazê-las. Quando eu o perguntava, ele explicava para mim como a coisa era feita e o que tinha de ser considerado, mas fazê-lo dizia respeito a mim. Através disso, eu aprendi não ter medo de errar, e sim aprender como superar os fracassos, através da repetição, e ser conduzido pela Providência Divina. A repetição é a mãe da sabedoria.

Contudo, não se deixe ir e ter confiança em si mesmo, como os franceses dizem: “Ajude-se, e então o céu te ajudará”. Você se torna fraco apenas se você perder a crença em seus próprios poderes e se você direciona sua imaginação através de pequenas metas. Mas nós não temos metas pequenas, nós temos metas grandes! O fato de você estar lendo essas palavras prova que você carrega consigo o desejo pela perfeição, embora ele possa ser apenas num nível instintivo. Essas poucas palavras são uma pequena contribuição, que serve como um guia e para sua ajuda e, em particular, para que você faça as coisas com alegria e entusiasmo.

por Dr. M.K., um dos discípulos de Franz Bardon

Um comentário:

  1. Bastante interessante esse artigo. Ele me deu uma impressão um pouco menos pesada, como que encarar o trabalho e desenvolvimento com menos peso, não digo menos responsabilidade ou seriedade, mas peso mesmo.É bastante agradável, e eu ainda não havia percebido, encarar o desenvolvimento mágico como um hobby.
    Obrigado.

    ResponderExcluir